Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

22 de dezembro de 2012

PRESIDENTE DO SINDASPMG É AGRACIADO COM A MEDALHA DO MÉRITO LEGISLATIVO


 
 Presidente do SINDASP-MG, Sr. Adeilton de Souza Rocha recebendo a Medalha do Mérito Legislativo das mãos do Deputado Alencar da Silveira.

No dia 08 de novembro o Presidente do SINDASP-MG, o Sr. Adeilton de Souza Rocha foi agraciado com a Medalha do Mérito Legislativo, como reconhecimento pelos trabalhos que vem despenhando nos últimos anos em defesa dos interesses dos servidores prisionais e socioeducativos de Minas Gerais.  Em luta constante por um salário justo,  garantia de direitos fundamentais e  condições melhores de trabalhos desses servidores, seja em Minas, Brasília ou em qualquer outro lugar desse Brasil.  Sendo um Dirigente Sindical que transcende seus interesses pessoais e corporativos em favor de um bem coletivo.

Matéria do Site da ALMG

ALMG celebra voto feminino na entrega da Medalha do Mérito
Ministra Cármen Lúcia, presidente do TSE, foi homenageada e oradora oficial da solenidade.
 
Em seu discurso, ministra destacou o amadurecimento da sociedade brasileira - Foto: Alair Vieira

O pioneirismo de Minas Gerais na luta pelo voto feminino, bem como a representatividade dessa conquista, que completa 80 anos, para a democracia do País, foram lembrados nesta quinta-feira (8/11/12), durante a solenidade de entrega da Medalha do Mérito Legislativo, no Expominas, em Belo Horizonte. No evento, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais agraciou 227 pessoas e instituições que se destacaram em suas áreas de atuação, entre elas a presidente do Tribunal Superior Eleitoral e ministra do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia Antunes Rocha, que foi a oradora da solenidade.
Cármen Lúcia recebeu do presidente da ALMG, Dinis Pinheiro, a medalha do grau Grande Mérito - Foto: Guilherme Bergamini
Condecorada com a Medalha no grau Grande Mérito, a ministra destacou em seu discurso o amadurecimento da sociedade brasileira. “Não vivemos um momento de reforma, e sim de transformação”, destacou a ministra. A Lei da Ficha Limpa, segundo ela, é uma prova de que o cidadão exige cada vez mais participar do processo político. Por isso, ela alertou aos que ocupam cargos públicos para a necessidade de se agir com ética em todos os setores da vida estatal. “Não se trata de escolha; é a ética ou o caos”, afirmou Cármen Lúcia.
Nesse sentido, a ministra lembrou a importância da consolidação da Federação brasileira como espaço de afirmação da democracia. “É uma caminhada na qual não podemos permitir retrocessos”, disse ela, lamentando que muitos Estados ainda precisaram do apoio das Forças Armadas para que as eleições municipais de outubro pudessem ser realizadas com tranquilidade. Minas foi um dos quatro que não necessitaram da presença de tropas federais.
Cármen Lúcia comentou, ainda, que as assembleias estaduais têm muito espaço para legislar dentro de suas competências e fazer com que a participação popular seja cada vez maior no espaço público. Nesse sentido, afirmou, “os ocupantes de cargos públicos precisam ser, de fato, representantes do povo, e não seus substitutos”. “O Legislativo Estadual vive um momento de grande importância para o aperfeiçoamento das instituições, e, nesse contexto, Minas tem sido, ao longo de sua história, exemplo na concretização dos ideais republicanos”, destacou.
Ao lembrar a comemoração dos 80 anos do voto feminino no Brasil, Cármen Lúcia reafirmou que a existência da Federação passa pelo respeito democrático às diferenças. “Nós mulheres devemos ser tratadas como iguais, mas gostamos de conviver com as diferenças”, garantiu ela.
Presidente destacou a importância mineira na conquista do voto feminino
 
Dinis Pinheiro destacou o papel das mulheres na história da democracia brasileira - Foto: Marcelo Metzker

O presidente da Assembleia, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), destacou a luta pelo direito ao voto feminino e a forte presença de Minas nessa conquista, ao citar exemplos de mineiras que simbolizaram essa liderança feminina e que contribuíram para afirmar um novo perfil humano e cidadão da mulher. Ele lembrou Mietta Santiago, estudante de direito que, em 1928, obteve da justiça o direito ao voto.
Ao lembrar o fato de a ministra Cármen Lúcia ser a primeira mulher a presidir o Tribunal Superior Eleitoral, Dinis Pinheiro ressaltou que, apesar dos avanços já obtidos, a presença feminina na representação política do País ainda é pequena. Em entrevista à imprensa, o presidente disse esperar que o momento atual seja “uma arrancada para a atuação da mulher cidadã brasileira”.
Dinis Pinheiro também enfatizou que a atuação da ministra Cármen Lúcia à frente do TSE orgulha o Estado e resgata uma postura ética e comprometida com a sociedade.
 
Foram entregues 227 medalhas a pessoas e instituições que se destacaram em suas áreas de atuação - Foto: Alair Vieira

O presidente da Assembleia ainda disse que a concessão da medalha é uma homenagem, bem como uma distinção às pessoas que transcendem seus interesses pessoais e corporativos em favor de um bem coletivo. Ele também reafirmou que, embora sejam grandes, as disparidades entre os ideais e a realidade da sociedade, a Assembleia vem trabalhando para alcançar políticas sociais mais justas.
Além da ministra Cármen Lúcia, também foram agraciados com a medalha Grande Mérito o corregedor do Tribunal Regional Eleitoral, Antônio Carlos Cruvinel, o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Joaquim Herculano Rodrigues, e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Wanderlei Ávila. Também recebeu uma homenagem póstuma com a medalha do grau Mérito a atriz de teatro e artista plástica Cecília Bizzoto, assassinada durante um assalto na madrugada do dia 7 de outubro deste ano, na casa onde morava com seus pais, no bairro Santa Lúcia, em Belo Horizonte.
A medalha, criada pela Resolução 2.778, de 1982, é constituída de três graus: Grande Mérito, Mérito Especial e Mérito
Ao final da solenidade, a Bombeiro Instrumental Orquestra Show emocionou a todos ao interpretar, em meio à plateia, a música “Eu sei que vou te amar”, de Vinícius de Moraes e Tom Jobim.

Fonte:  ALMG

Nenhum comentário: