Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

15 de março de 2012

PROCURADOR É CONVIDADO PARA SER SECRETARIO DE DEFESA SOCIAL


Governador Anastasia pediu cessão de Rômulo Ferraz dos quadros do MPE para substituir Lafayette Andrada

Ezequiel Fagundes e Amalia Goulart - Do Hoje em Dia - 15/03/2012 - 08:06

AMMP/DIVULGAÇÃO

Perfil técnico: procurador Rômulo de Carvalho Ferraz pertence aos quadros do MPE desde 1989



O procurador de Justiça Rômulo de Carvalho Ferraz, do Ministério Público Estadual (MPE) de Minas Gerais, foi convidado oficialmente para ser o novo secretário de Estado de Defesa Social. Ele vai assumir a vaga no lugar do deputado estadual Lafayette Andrada (PSDB), que retornará à Assembleia Legislativa.

Depois de muita especulação, o governador Antonio Anastasia (PSDB) encaminhou ao gabinete do procurador-geral de Justiça, Alceu José Torres Marques, um pedido de cessão para Rômulo Ferraz assumir o posto. 
Diante disso, o Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) vai se reunir nos próximos dias para referendar o desligamento do procurador de Justiça da instituição. Ex-presidente da Associação Mineira do Ministério Público (AMMP), Rômulo Ferraz assumiu o cargo de promotor em 1989.

Com a volta de Andrada para a Assembleia, a deputada estadual Ana Maria Resende (PSDB) perde a cadeira e volta para a suplência.

O próximo secretário que deve deixar o governo é o de Transportes e Obras Públicas, deputado federal Carlos Melles (DEM). Desgastado no Palácio Tiradentes e sem o apoio do próprio partido, o governo já teria decidido pela troca.
Em seu lugar, deve assumir o deputado estadual Gustavo Corrêa (DEM). Fontes ligadas às negociações garantiram, nesta quarta-feira, que Melles vai deixar o cargo em breve. O assunto foi discutido em um almoço entre o governador em exercício, Alberto Pinto Coelho (PP), e o secretário de Governo, Danilo de Castro (PSDB).
Dentro do processo de reforma, Anastasia já promoveu alterações no segundo escalão. Antes de viajar à Itália, ele encaminhou à Assembleia quatro indicações para assumir empresas do governo, todos com perfil técnico.
Envolvido numa operação policial no ano passado, o Instituto de Terras de Minas Gerais (Iter) ganhou um diretor ligado ao atual secretário de Regularização Fundiária, Wander Borges (PSB). Márcio Eli Almeida Leandro foi secretário adjunto do socialista na pasta de Desenvolvimento Social. O Iter foi alvo de denúncias de corrupção, que culminaram na prisão do então diretor geral Ivonei Abade. 
Na Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário de Minas (Arsae) o governador manteve o atual diretor geral, Antônio Caram Filho, mas nomeou um segundo diretor, de perfil técnico, para fazer frente à indicação política de Caram. Assume o cargo Hubert Brant, técnico de carreira da Arsae. Outra alteração assinada pelo governador diz respeito à Fundação Caio Martins. Para a presidência, o tucano nomeou Genilson Zeferino, oriundo da Secretaria de Defesa Social. 
Na Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapemig), Anastasia encaminhou à Assembleia a manutenção de Mário Neto Borges, pesquisador da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Nenhum comentário: